Skip to Menu Skip to Search Contate-nos Angola Websites & Idiomas Skip to Content

Para garantir a alta qualidade e o valor da casimira, as fibras precisam ser medidas em termos de densidade e espessura da escama, pigmentação, diâmetros e outras características.

A SGS tem a experiência e a especialização para realizar os dois métodos comercialmente viáveis de teste de microscópio de casimira e medição disponível atualmente: microscópio eletrônico de varredura (MEV) e microscópio óptico.

Identificação da casimira usando método de microscópio óptico

Comparado ao MEV, a vantagem principal do teste microscópico óptico da casimira é que os técnicos podem ver a estrutura interna (ou pigmentos) da fibra. Esses recursos podem ajudar a diferenciar a casimira de qualquer outra fibra substituta de valor inferior (por exemplo, lã, iaque) que um terceiro pode ter introduzido em algum ponto ao longo da cadeia de processamento.

O método óptico conta com técnicos na identificação de fibras ampliadas, a partir da estrutura da escama e outras características. Seguimos as metodologias relevantes estabelecidas por:

  • American Standard Testing Methods (ASTM-D629: Standard Test Methods for Quantitative Analysis of Textiles) 
  • American Association of Textile Chemists and Colorists (AATCC-20A: Análise de fibras: Quantitativa)
  • Norma internacional (ISO 17751: Análise quantitativa de fibras animais pelo microscópio: casimira, lã, fibras especiais e suas misturas).

Medições consistentes, precisas

Considerando que existem sobreposições nas características da casimira e outras fibras de lã, usar o microscópio óptico para medir esse materiais é um processo um tanto subjetivo. Para manter a consistência e a precisão da nossa análise microscópica da casimira, usamos somente métodos aceitos pelo setor e fornecemos, aos nossos técnicos, treinamento personalizado, baseado na biblioteca de fibras animais rastreáveis.

Também centralizamos a operação dos serviços de testes de fibras especiais de animais no Reino Unido. Aprovada pelo CCMI (Cashmere and Camel Hair Manufacturers Institute), esta instalação está constantemente envolvida no desenvolvimento de:

  • Procedimentos técnicos padronizados
  • Amostras eletrônicas e físicas de fibras rastreáveis
  • Treinamento computadorizado para identificação de fibras
  • Processos para monitoramento contínuo dos técnicos

Entre em contato com a SGS para descobrir como nosso teste de fibra através do teste de microscópio óptico pode ajudar a manter a alta qualidade e o valor das suas remessas de fibra.