Skip to Menu Skip to Search Contate-nos Angola Websites & Idiomas Skip to Content

A legislação ambiental, na maioria dos países, exige que os resíduos de instalações sejam tratados com desintoxicação de cianeto antes de serem depositados em unidades de resíduos.

Para provar a conformidade, a maioria das instituições financeiras exige um fluxograma metalúrgico mostrando as etapas de tratamento do cianeto. A SGS é líder mundial em todos os aspectos do ciclo do cianeto, incluindo cloração alcalina para destruição de cianeto. Podemos ajudá-lo a lidar com essa área de risco técnico.

A SGS desenvolve regularmente fluxogramas de destruição de cianeto e realiza os testes necessários em lote ou escala piloto. Os dados obtidos desses testes são usados para definir parâmetros técnicos e, depois, projetar unidades operacionais que resultarão em concentrações de cianeto aprovadas em seus resíduos com o menor custo possível.

A cloração alcalina produz várias vantagens importantes:

  • inclui um oxidante forte  
  • pode oxidar o tiocianato (reação 3)
  • pode oxidar o cianato para N2 e CO2 (reação 4 em um segundo estágio), evitando a hidrólise do cianato em amônia indesejável (reação 6)
  • não requer catalisador de cobre  
  • oferece cinética rápida
  • pode oxidar CN-WAD eficazmente (por isso CN-WAD também é chamado de "CN suscetível a cloração") deixando uma solução de baixo cianeto de ferro

As limitações à cloração alcalina incluem:

  • o processo é não-seletivo, o que leva a um alto consumo de reagentes  
  • exige alto pH (pH 11) para assegurar uma hidrólise rápida e completa de gás cloreto de cianogênio altamente tóxico (reação 8)
  • o ferrocianeto não é destruído, mas apenas parcialmente oxidado em ferricianeto (reação 5). requer um estágio e um reagente adicional para remover o cianeto de ferro (se necessário) como precipitado de cianeto de ferro de metal de base (como na reação 9)
  • pode deixar cloro residual na solução (exigindo um estágio de lagoa de polimento ou aeração)

A cloração alcalina é um processo relativamente simples no qual o chorume de cianeto é tratado em um procedimento de nove etapas. Durante a cloração alcalinha, forma-se cianogênio (CNCL) que é, depois, hidrolizado para cianeto (CNO) com pH alcalino:

Reagentes
Cl2 + 2NaOH --> NaOCl + NaCl + H2 O              

Reações
NaOCl + CN-WAD --> CNO-+ NaCl
4NaOCl + SCN-+ 2OH- --> CNO-+ SO42-+ 4NaCl + H2O
3NaOCl + 2CNO-+ 2H+--> N2 + 2CO2 + 3NaCl +H2 O
2Fe(CN)64-+ NaOCl + 2H+--> 2Fe(CN)63-+ NaCl + H2 O
CNO-+ H++ H2 O --> CO2 + NH3
NaOCl + CN-+ 2H+--> CNCl + Na++ H2O
CNCl + 2OH---> CNO-+ Cl-+ H2O
6FeSO4+ 4Fe(CN)63---> 2Fe3(Fe(CN)6)2+ 6SO42-

A SGS possui a tecnologia e a perícia para lhe oferecer um gerenciamento de cianeto financeiramente viável e eficaz em todos os estágios de sua operação de recuperação de ouro. Contate-nos no início do estágio de proposta e planejamento de sua operação de ouro para verificar se a cloração alcalinha é a melhor solução para destruir o cianeto de sua área.