Skip to Menu Skip to Search Contate-nos Angola Websites & Idiomas Skip to Content

Por décadas, a lixiviação por cianeto tem sido o método padrão da indústria para recuperar ouro de minérios. A SGS continua na vanguarda desta bem-sucedida tecnologia de recuperação de ouro.

O carbono é tradicionalmente usado para recuperar ouro de chorumes de cianeto, mas avanços tecnológicos recentes resultaram no uso de resinas como um método altamente eficiente e eficaz em termos de custos para a recuperação de ouro. A SGS tem o conhecimento para ajudá-lo a desenvolver um fluxograma de ouro que otimize a extração do minério, sua recuperação com custos operacionais razoáveis e sustentabilidade ambiental. 

Os gerentes de projeto da SGS podem trabalhar com você para desenvolver um fluxograma eficaz para sua operação de ouro. A partir da fase de mapeamento e escala de bancada, criaremos e demonstraremos um programa de teste que definirá e otimizará os parâmetros cruciais de recuperação de ouro, incluindo mineralogia, cinética e restrições químicas.   

Não importa se seu fluxograma final utilize tecnologias de carbono ou resina: os dados coletados pela SGS permitirão que você tome decisões operacionais importantes e forneça informações sobre despesas de capital e operacionais para seu estudo de viabilidade.   

Tecnologias de carbono para recuperar ouro

CIP (Carbon-in-pulp) / CIL (Carbon-in-leach) / CIC (Carbon-in-columns)

Especialistas em metalurgia da SGS desenvolveram e continuam melhorando esses processos financeiramente eficazes, testados ao longo do tempo e comprovados. Em todos eles, o carbo ativado é usado para extrair ouro da solução de lixiviação por cianeto. Um sistema de recuperação de carbono como esse oferece altas taxas de recuperação e custos operacionais e de capital menores. Essas técnicas de recuperação por carbono incluem:

  • Carbon-in-pulp
    O minério é triturado, bem granulado e misturado à solução de lixiviação por cianeto para formar uma mistura em um tanque de agitação. O carbono ativado é introduzido na mistura e, depois, removido por peneiramento quando estiver totalmente carregado de ouro.

  • Carbon-in-leach
    O processo é muito semelhante ao processo CIP. As principais diferenças estão na preparação da mistura e no método de remoção do ouro do chorume. No processo CIL, o carbono é misturado à solução do chorume, e não à polpa. Esse sistema é muito menos abrasivo, o que significa que o carbono dura muito mais que no processo CIP.

  • Carbon-in-columns
    Durante esse processo, a solução de lixiviação por cianeto passa por colunas cheias do minério. O processo é altamente eficaz para remover ouro de uma jazida de baixa classificação.

Tecnologias de recuperação com resina

RIL (Resin-in-leach) / RIP (Resin-in pulp)

Nos últimos anos, a resina vem substituindo o carbono no papel de substrato de recuperação de ouro ideal. A SGS é líder mundial no desenvolvimento dessa tecnologia. O processo usado na recuperação com resina é semelhante ao do carbono, mas o ouro é adsorvido em esferas sólidas de resina de poliestireno e não em grãos de carbono ativado.  

A recuperação com resina oferece todas as vantagens da recuperação com carbono, com alguns benefícios adicionais:

  • vantagens mecânicas e de engenharia bem definidas em relação à recuperação CIC, em decorrência das características de fluxo das esferas de resina
  • O tamanho das partículas de resina sintética é mais coerente que o das partículas de carbono natural, permitindo um maior controle ao adicionar adsorvente
  • Melhores taxas de recuperação são obtidas a partir de minérios refratários, ou daqueles que contêm altos níveis de argila ou componentes orgânicos

Contate a SGS no início do estágio de planejamento do seu projeto de ouro. Nossa sólida tecnologia e conhecimento técnico globalmente reconhecido podem lhe fornecer as informações necessárias para um fluxograma de ouro eficiente e economicamente eficaz para as suas operações.